• Vânia Penha-Lopes

CONTERRÂNEA

Acabou de entrar uma brasileira no ônibus conversando por telefone aos berros. Aos berros, ela reclamou de um cara, não brasileiro, que não sabe beijar direito (estou sendo discreta nas palavras que estou usando). Ela se sentou atrás de mim. Era tanto detalhe da sua vida sexual que me virei e lhe disse, em português, que estava ouvindo a conversa toda. Ela pediu desculpas, então acrescentei que achei justo avisá-la do que estava se passando. Ela contou à "Vanessa" (a interlocutora) que tinha uma brasileira no ônibus e continuou sua conversa em voz mais baixa. Detalhe: quando ela falava inglês, ela dava a impressão de ter freqüentado o mesmo curso onde o Joel Santana estudou.


Originalmente publicado no Facebook em 29 de outubro de 2016.

1 view0 comments

Recent Posts

See All

PAVOR E SOLIDARIEDADE

De volta pra NYC, ouvi uma respiração tão ofegante que pensei tratar-se de um cachorro. Era um rapaz que anunciou ter perdido a carteira, preta e da marca Coach, na fileira oposta à minha. As pessoas