top of page
  • Writer's pictureVânia Penha-Lopes

USURPAÇÃO DE UMA TRADIÇÃO AFRO-BRASILEIRA

Updated: Mar 6, 2020

Todo ano penso nisto e me irrito com mais um episódio de usurpação de uma tradição afro-brasileira. Antes de o Hotel Meridien começar com a cascata de fogos, as praias eram ocupadas por umbandistas e seus rituais. Aos poucos, eles foram forçados a desaparecer das areias.


É legal irmos à praia ver os fogos? Claro que é. Mas está certo a prefeitura ter tirado os umbandistas do espaço já ocupado? Claro que não. E mais: num estado e uma cidade sucateados, onde a prefeitura acha dinheiro pra pagar cachês altíssimos pra artistas fazerem shows? E se há tanto dinheiro disponível, por que pagaram menos ao Paulinho da Viola naquele ano?


A música ajuda a fixar a memória. Cantemos, pois, o jingle do antigo comercial da cachaça Praianinha, que sempre passava na TV perto da passagem do ano e soava como um "ponto de macumba":


"Vamos homenagear Iemanjá, a rainha do Mar Dê uma flor com fervor Iemanjá, mensageira do amor Praianinha vem da praia Praianinha volta a beira-mar Pra homenagear Iemanjá Iemanjá, a sua rainha

Vamos homenagear Iemanjá, a rainha do mar! Dê uma flor com fervor Iemanjá, mensageira do amor!"


Originalmente publicado no Facebook em 29 de dezembro de 2019.

13 views0 comments

Recent Posts

See All

1964, 60 ANOS DEPOIS

Que imagem postar sobre os 60 anos do Golpe de 1964? Uma foto das várias passeatas de estudantes contra o novo regime? Uma outra em que eles apanham da polícia? A foto das artistas na passeata contra

"SER NEGRO, AQUI E LÁ"

"Recordar é viver": Em 2008, a jornalista Flávia Tavares me entrevistou para um artigo publicado no Estadão sobre como brasileiros que moram nos EUA vêem a questão do racismo aqui e no Brasil. Forneço

Yorumlar


bottom of page