• Vânia Penha-Lopes

USURPAÇÃO DE UMA TRADIÇÃO AFRO-BRASILEIRA

Updated: Mar 6, 2020

Todo ano penso nisto e me irrito com mais um episódio de usurpação de uma tradição afro-brasileira. Antes de o Hotel Meridien começar com a cascata de fogos, as praias eram ocupadas por umbandistas e seus rituais. Aos poucos, eles foram forçados a desaparecer das areias.


É legal irmos à praia ver os fogos? Claro que é. Mas está certo a prefeitura ter tirado os umbandistas do espaço já ocupado? Claro que não. E mais: num estado e uma cidade sucateados, onde a prefeitura acha dinheiro pra pagar cachês altíssimos pra artistas fazerem shows? E se há tanto dinheiro disponível, por que pagaram menos ao Paulinho da Viola naquele ano?


A música ajuda a fixar a memória. Cantemos, pois, o jingle do antigo comercial da cachaça Praianinha, que sempre passava na TV perto da passagem do ano e soava como um "ponto de macumba":


"Vamos homenagear Iemanjá, a rainha do Mar Dê uma flor com fervor Iemanjá, mensageira do amor Praianinha vem da praia Praianinha volta a beira-mar Pra homenagear Iemanjá Iemanjá, a sua rainha

Vamos homenagear Iemanjá, a rainha do mar! Dê uma flor com fervor Iemanjá, mensageira do amor!"


Originalmente publicado no Facebook em 29 de dezembro de 2019.

3 views0 comments

Recent Posts

See All

A ORIGEM DO MÊS DA HISTÓRIA NEGRA NOS EUA

Nos EUA, o mês de fevereiro é dedicado à história afro-americana. O texto abaixo é uma tradução do texto que escrevi há um ano, em inglês, sobre a origem dessa comemoração. A versão em português també

    Subscribe here to be part of a special community of readers that gets my chronicles directly in their e-mail box!

    Join my community

    Send me a message!

    Copyright © Vânia Penha-Lopes 2020. By Uyara Azevedo